370 20/1/2015

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

Fable 3

Análise de uma Parceira do Gueime: Paula Micheletti (FIOCCOS)!

Se quiser publicar sua própria análise sinta-se livre para nos contactar por e-mail(parceiros@gueime.com.br).

Confesso que não sou a maior fã de jogos RPG, afinal acho aqueles diálogos intermináveis e as missões totalmente pré-definidas meio chatos, mas Fable III me conquistou de tal modo que passei dias jogando sem fazer mais nada. Parece loucura? Eu não acho quando um jogo me cativa desta forma, e principalmente se for em um cenário steampunk. Eu não joguei os primeiros jogos da saga, e não sei se irei jogar tão cedo logo não poderei fazer uma comparação entre eles, e muito menos quis pesquisar sobre eles, afinal não quis atar-me à opinião de outras pessoas.

O jogo começa te dando a possibilidade de ser um príncipe ou uma princesa de Albion, e já de cara temos que fugir do castelo do reino para nos fortalecermos e tomar o reino de nosso irmão tirano. Parece um tanto clichê para você? Pois é, eu também achei. E neste percurso até tomarmos o reino, ganhamos habilidades com magia, e com diversas armas.

Embora o cenário te de a possibilidade de esquecer que está em uma luta para tirar seu irmão tirano do poder, chega um momento que você cansa de ficar fazendo pequenas quests para os personagens para ganhar pontos de experiência e fortalecer sua magia. E é neste momento que o jogo quando você já está milionário, tem mais de uma esposa e milhares de filhos que Fable III ficou um pouco cansativo, pois acabei tendo tanto dinheiro e me fortalecendo tanto com magia que todo se tornou fácil demais de se passar.

Em todo o momento em que você anda pelos campos para ir de uma cidade a outra, tem bandidos que querem te matar, mas chega um ponto que eles começam a se tornarem tão irritantes e ridículos que eu simplesmente passava direto ignorando eles. O chefão final é tão estupido que quando acabou eu fiquei incrédula com a velocidade que tinha terminado o jogo, e no fim você descobre que seu irmão não era tão tirano assim, e agora é você que tem que decidir entre tudo ou nada para os seus súditos.

A interface do jogo não tem nada de inovador, mas também não deixa nada a desejar. Os gráficos são relativamente bons e os sons são bacanas. Outra coisa que me deixou um pouco cansada foi a lentidão de mudança de senário ao sair de uma região para outra, o mapa demora muito para carregar.

Se o jogo vale a pena? Acredito que sim, para passar um tempo e se distrair, mas não vai ser nada que irá mudar sua vida.

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

7.1

E o jogo vale a pena? Acredito que sim, para passar um tempo e se distrair, mas não vai ser nada que irá mudar sua vida.
  • + gráficos bons
  • - interface nada inovadora

Informações do Jogo