1032 20/1/2015

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

Pokemon Conquest

Quem nunca se imaginou na pele de um samurai? Agora pense que você é o líder samurai em plena guerra. Incrível, não? Agora imagine uma situação em que os samurais não utilizem suas espadas, e sim seus pokémons!

Apresentação

Pokemon Conquest é um jogo que foi lançado para ser um dos últimos grandes nomes para o Nintendo DS. A Nintendo fez uso de uma franquia há muito esquecida, baseada no anime Sengoku Basara, juntamente de uma das que mais vendeu jogos nos últimos séculos: Pokemon.

O jogo é totalmente baseado em um estilo que muito lembra um jogo de xadrez, nos moldes do antigo “Nobunaga Ambition’s” – ou no clássico Final Fantasy Tactics. A grande diferença aqui é o uso dos monstrinhos de bolso no lugar de um exercito samurai propriamente dito. A história se passa em Ransei, um continente composto por 17 reinos, sendo que cada um é referente a um tipo de pokémon especifico. Você é um jovem aventureiro que parte, juntamente com seu bichinho inicial, em busca da conquista desses reinos e ter toda a verdade do mundo revelada pelo Pokémon Deus: Arceus. Entretanto, a busca pelos reinos é dificultada pelo antagonista, Nobunaga, que visa o controle do Deus Pokémon. Para impedi-lo, o protagonista contará com a ajuda da irmã mais nova de seu inimigo, Oichi, que possui um Jigglypuff como parceiro.

Além de Oichi, diversos Warlords também irão contribuir na sua jornada contra a conquista de Ransei pelas mãos de Nobunaga, tal qual diversos samurais poderosos unirão forças com o seu inimigo trazendo desafios constantes e cada vez mais difíceis de acordo com o seu progresso no do jogo.

O método de conquistar um pokémon para um de seus aliados também é diferenciado. No lugar de uma pokebola, um mini-game define a dificuldade e a captura do novo parceiro. Vale lembrar que aqui, capturar é um modo abstrato, pois é uma relação de mutualismo, onde a afinidade define a evolução e os status do seu bichinho.

Gráficos e Som

Logo de cara, os gráficos dos Bichinhos de bolso impressiona, pois desde Pokemon Revolution (Wii) não era possível ver o seu Charizard usando suas chamas de forma esplendorosa. Sem contar que, fora do campo de batalha, cada pokémon possui uma imagem única, que muitas vezes o torna ainda mais marcante e nos dá mais vontade de tê-lo no time principal.

Juntamente dos gráficos, o som é outro fator que empolga. Você realmente se sente dentro de um campo de batalha, o que é algo raro pela qualidade sonora limitada dos consoles de bolso. Por vezes, a mescla dos gráficos diferenciados ao se usar uma habilidade, juntamente do som, dá um animo surreal ao jogador mesmo que de forma inconsciente. Essas situações são constantes e dão mais tempo de vida ao jogo; e faz o jogador se apegar ainda mais a ele.



Enquanto os gráficos dos bichinhos, juntamente dos seus belos ataques, impressionam dentro das batalhas, fora delas temos incríveis imagens estilizadas dos Bushous e de seus parceiros!

Gameplay

A mítica do jogo é, então, bem simples: ir em todos os reinos, conquistar e… conquistar! Certo? Não, você errou.

Além de conquistar os demais terrenos, você tem que proteger as áreas conquistadas, pois o jogo possui uma inteligência artificial apurada em determinadas partes, que fazem seu inimigo atacar determinadas áreas e tomarem de volta para si. Assim, se faz necessário a conquista não só de terrenos com rapidez, mas também recrutar novos guerreiros, sejam eles personagens secundários ou os Warlords de determinadas áreas – como o famoso Yukimura Sanada. Cada terreno poderá ter seis diferentes Bushous (personagens) para o proteger, cada um com um pokémon sendo usado. Entretanto, o mesmo guerreiro pode ser ‘amigo’ de diversos monstrinhos ao mesmo tempo.

Cada Bushou possui uma habilidade diferente, fazendo com que seja único e capaz de encaixar em diversas estratégias diferentes. Enquanto o protagonista é capaz de atacar e se mover mais de uma vez durante o turno, por exemplo, a Oichi possui uma habilidade de cura extremamente útil.

Como se não bastasse, cada personagem possui uma ligação diferente com cada tipo e pokémon especifico. Ou seja, por mais que eu me esforce em ter um bichinho especifico com meu personagem favorito, ele pode não conseguir chegar a um nível de 100% de afinidade; sendo que o level, no jogo, é substituído por afinidade.

Outro detalhe extremamente interessante é o quesito evolução. Primeiro que você já começa com o parceiro que mais possui evoluções dentre todos os pokémon: Eevee, possuindo sete evoluções possíveis, de diversos tipos, atendendo qualquer tipo de gosto e dificuldade. Segundo, o protagonista também evolui, de acordo com a afinidade adquirida com seu monstrinho principal e, com isso, adquire uma nova Skill, se tornando ainda mais poderoso!

Mas ok, é um jogo simples, que vai me proporcionar algumas horas de jogatina. E depois? A Nintendo sempre capricha em suas franquias principais e, apesar desse jogo ser considerado um spin-off, com ele não foi diferente. A partir do momento que você termina o modo historia, que pode te ocupar durante 10 a 20 horas, dependendo do estilo de jogador, um novo modo com diversas missões é liberado. No total, temos uma missão para cada Bushou Warlord, contando uma historia totalmente nova tendo o guerreiro escolhido, como protagonista. Nesses episódios, os Warlords também são capazes de evoluir, e você tem acesso a conteúdo antes não liberado: pok;emons lendários!

No final, após as mais de 100 horas extras (sim, 100 horas extras), e com todas missões extras concluídas, uma nova missão é liberada: basicamente um novo modo historia, que se passa após os acontecimentos da Main Story, com o seu protagonista.

A partir dos pontos citados, o jogo pode ser julgado como uma obra prima. Entretanto, alguns detalhes o tiram desse posto.Apesar da gama de missões serem extremamente diversificadas, elas acabam se tornando monótonas, e por vezes, chatas.

Não existe um modo multiplayer, sem ser o modo ‘Local’. Isso é frustrante, pois você fica na necessidade de um desafio maior com aqueles bichinhos que tanto demorou a impor uma afinidade 100%.

Infelizmente, dos mais de 600 monstrinhos, aqui só temos acesso a menos de 250 dos mesmos. Apesar da baixa quantidade de pokémons não influenciar no jogo e, por vezes, não ser perceptível, o fato de cada bichinho só possuir um ataque atrapalha, e muito, as estratégias, sendo que em algumas lutas, a vitória se torna impossível.

Veredito

Mesmo com alguns pontos negativos consideráveis, Pokemon Conquest consegue inovar e nos colocar em uma posição jamais pensada. A situação customizável dos seus times, das estratégias e das habilidades especiais fazem com que o jogo seja considerado um dos melhores spin-off já lançados pela Nintendo, sendo aclamada uma futura sequencia. Você que é fã de uma das franquias, principalmente Pokemon, simplesmente não pode deixar de jogar esse jogo.

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

9.5

Mesmo com alguns pontos negativos consideráveis, Pokemon Conquest consegue inovar e nos colocar em uma posição jamais pensada
  • + Melhor spin-off de Pokemon
  • + Jogabilidade interessante
  • + Jogo extremamente viciante
  • - Falta de modo multiplayer
  • - Jogo pode se tornar monótono depois de um tempo

Informações do Jogo