365 20/1/2015

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

Sniper - Ghost Warrior

Quando a Distancia Não Importa:

Sniper: Ghost Warrior e um shooter em primeira pessoa que, embora nada fantástico, traz o gostinho de um headshot como ninguém. Situado num conflito com traficantes sul americanos, tem uma história relativamente bem amarrada. Digo relativamente porque apesar de uma introdução consistente e reviravoltas interessantes, os personagens do jogo não são marcantes. O complicado para esse jogo foi ser colocado defronte a outros blockbusters como Call of Duty: Modern Warfare. A expectativa e simplesmente alta demais.

A verdade e que Sniper: Ghost Warrior é um bom jogo. Transições interessantes, belas cenas de headshot e uma relativa imersão no mundo do soldado sniper. Porém, o jogo e quase sempre mediano em todos os suas nuances. Nunca inovando ou se arriscando.

Graficos & Som

Como dito antes, tudo no jogo e mediano. O gráfico é bom... é sim. O áudio, também. Mas nada mais do que isso. Uma escolha para não arriscar por parte do studio criador do jogo, City Interactive.

E triste quando se gosta de um jogo e não se tem argumentos para falar bem dele. Ele não passa de um jogo mediano, e isso também se traduz gráfica e sonoplasticamente. Enfim nada demais.

Gameplay

Bom, ai já se pode falar um pouco melhor desse inafortunado dos gueimes. A jogabilidade é muito boa. O jogador e levado a pensar feito um sniper de elite de fato, se esconder, procurar os melhores spots para os kills e entender que raramente que se deparar a um monte de inimigos abertamente vai se dar bem.

Mas ai vem denovo a característica mediana do jogo. Apesar de ser apresentável e demonstrar uma certa solidez, o jogador se depara com uma inteligência artificial sistemicamente estupida. As vezes os inimigos fazem coisas que poxa, simplesmente não deveriam. Se escondem em lugares estúpidos ou coisa parecida. O mapa as vezes não parece lógico e o jogador pode vir a se perder por vários minutos simplesmente porque uma tábua no chão deixa a passagem aparentemente intransponível.

Apesar de tudo tem um brilhantismo nisso tudo. O único, mas ainda sim belíssimo. Cutscenes de mortes criticas. Quando um tiro e disparado de longe e acerta criticamente o inimigo, e mostrada em câmera lenta a trajetória da bala até o dano no inimigo. LINDO, intenso, sõlido e sanguinário. Coisa linda de se ver.

Veredito

Um jogo mediano. Nada mais do que isso. O que também não quer dizer que você não vai querer chegar no fim. Por algum motivo maluco, você vai. E divertido embora as vezes meio frustrante. E vamos admitir, jogos são feito livros. Nem sempre temos material sensacional para apreciar. Sempre sobrará tempo para os medianos. Então mantenha em mente, esse e um dos bons medianos para você perder seu tempo. Aproveite.

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

6.0

Um jogo mediano. Nada mais do que isso.