968 20/1/2015

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!

Top 10 coisas que deixam um jogador violento

Advertência: O texto a seguir é apenas algo de cunho humorístico e seu conteúdo não tem como objetivo incitar a violência!

Raiva, ódio, violência. Três adjetivos associados aos jogos eletrônicos e, principalmente, àqueles que jogam. Mas muitos acham que esta raiva, este ódio todo tem origem nos jogos e extrapolamos para a vida real. Ledo engano. Apresento a vocês agora os verdadeiros motivos que tornam um jogador violento. Confira nosso top 10 coisas que deixam um jogador raivoso:

10 – ouvir dizer que "jogos deixam as pessoas violentas"

Que maneira melhor para começar este top 10 do falar sobre o tema desta lista? GTA, Assassin´s Creed e Call of Duty, todos deixam as pessoas violentas. Quem joga Tetris vira engenheiro, quem joga Angry Birds sai jogando canários contra os porcos, quem joga Plants Vs Zombies plantou pezinhos de ervilha por precaução. Quem joga O Senhor dos Anéis tenta queimar o... deixa pra lá, vou evitar trocadilhos.

Jogos podem influenciar uma pessoa a fazer algo? Claro! Tudo é influência: o papai jogando lixo no chão, a novela da moça que quer vingança, o filme do cara pegador numa limusine. Agora, é necessário apenas um pouco de personalidade e bom senso para escolher o que cada um irá absorver com mais determinação. Jogos não deixam as pessoas violentas! Pessoas falando isso deixam os jogadores violentos! E os outros nove tópicos também.

9 – jogos são coisas de crianças

Super Mario, a história do encanador que busca sua princesa pelos castelos do mundo, é um jogo de criança. Zelda, a princesa que espera seu herói vir salvá-la, é um jogo pra criança. GTA, com toda a liberdade de dirigir, atropelar, atirar e matar, é coisa de criança. Tudo coisa de criança.

Jogos não são coisa de crianças! Temos jogos infantis sim, mas não são todos. Tem uma coisa que chama classificação etária, que mostra qual é o público do jogo. Isto significa que a temática do jogo se destina aquele público. E há jogos para adultos, com temas adultos, com problemas adultos e linguagem adulta. E dane-se se eu jogar o jogo da Barbie, não sou criança por isso!

8 – Free-to-pay

“Meeeeeeeeeeeeeeeeu Deus! O jogo da Galinha Pintadinha: Anarquia no Reino das Flores vai ser grátis! Que maravilha!” E você baixa o jogo da protagonista galinácea, trabalha duro durante horas para conquistar todos os ovinhos, salvar todos os pintinhos e conquistar a Crina Dourada do Supremo Frango Nórdico. Dias, semanas e muita paciência para alcançar todas estas conquistas. Aí aparece um infeliz que conquistou o lendário cartão de crédito, comprou a Espora de Diamante do Galo Carijóquison, te deu uma surra e você perdeu tudo o que conquistou.

Jogos gratuitos devem rentabilizar de alguma forma e geralmente é vendendo itens dentro do jogo. Mas custa fazer algo que não diferencie os pobres dos ricos? Nem todo mundo tem grana pra comprar um item, ou prefere conquistá-lo com o suor dos dedos. Então, por quê vender algo que cria uma desvantagem absurda entre os jogadores? POR QUÊ? Isso me deixa violento! Vou fritar um frango ali como protesto á maldita galinha e já volto...

7 – Parar de jogar pra ver novela

Você, leitor do sexo masculino, já deve ter ouvido algo assim: “(insira aqui um apelido carinhoso), você pode desligar seu “joguinho”. Vai passar a Lagoa Azul hoje, e eu não posso perder. E depois quero ver se a Maria Joaquina vai dar uma chance pro Cirilo. Ah, e depois de noite você não acredita que filme vai passar: Titanic! É tão lindo esse filme...mi-mi-mi Jack... desliga isso vai, você continua jogando depois meu bem...”

Lagoa Azul? Cirilo? Maria Joaquina? Titanic? JACK?JOGUINHO??? Quando esse tipo de coisa acontece, você olha pros lados pra ver se tem alguma câmera escondida, conta até 20 milhões, respira fundo...mais fundo...mais fundo ainda...e fica violento! Você sabe o que vai acontecer no filme! Nos dois! E na novela também! Eu vou ficar fazendo o que enquanto você assiste? Tricô? Crochê? Jogar Sudoku? EU VOU JOGAR!

6 – Inimigos Idiotas/Jogos Incompletos

Você acabou de comprar aquele jogo. Última geração, gráficos de babar, a espera foi grande. Na primeira cena de ação o inimigo pensa: “olhe, um barril explosivo! Vamos nos esconder atrás dele, é super seguro e o protagonista não vai pensar em nos ferir ali!”. Isso acontece na cena seguinte meia hora depois. E essa cena se repete...por mais uma hora e meia. E fim, o jogo acaba.

Jogo idiota! Jogo inacabado! Paguei 200 dilmas por isso? Nem se fosse na Summer Sale não teria valido a pena! Por quê todo inimigo tem que se esconder atrás do barril? E quando um morre, outro fica no mesmo lugar, ainda que seja no meio de um campo de futebol com um sniper na arquibancada! Na hora de trabalhar a inteligência artificial em que os desenvolvedores se basearam? O primeiro Doom? E se é pra fazer algo pela metade, venda pela metade do preço! Eu paguei o preço de um jogo completo por duas fatias de diversão! Isso me deixa furioso!

Aqui, minha ira de jogador violento está aumentando, por que sou jogador. Uma pausa pra respirar e imaginar coisas belas, calmas e boas para garantir o máximo de descontração.

Eeee voltamos:

5 – Bugs

Você está jogando aquele jogo que levou anos para ser lançado. O mundo todo ficou de olho nele, cada nova notícia era ovacionada e cada novo trailer um fã tinha um infarto. Mas valeu a espera, a introdução do jogo foi excelente e sua história impecável; de fazer qualquer um perder a cabeça...

Vocês gastaram anos, milhões de dólares e minha paciência para isso? Errar é humano, mas tem jogo que tem mais erro do que a correção das provas do Enem! Se não está pronto, não lance. Eu espero mais um mês, um ano, mas me entregue o jogo o melhor possível! Descobriu depois que lançou? Então se vira e faz algo pra consertar o erro que vocês cometeram! Ai que ódio!

4 – Jogadores Babacas

“Veja este novo jogo que lançaram: DOTA 2 (Pode ser substituído por League of Legends). Tem tanta gente falando tão bem dele, que vou ser obrigado a jogar e ver se é tão bom assim. E como é um MMO, poderei conhecer novas pessoas e até mesmo tirar alguma dúvida, afinal basta eu falar que estou aprendendo e pode aparecer uma boa alma pra me ajudar. =)”

Boa alma? Boas almas estão no céu ou inventando um sabre de luz em algum lugar do mundo, mas não aqui. Pra quê a pessoa entra no jogo pra torrar a paciência? Eu não sei jogar. Eu quero aprender! Então para de falar besteira! Sempre tem aquele infeliz que xinga até a terceira geração da sua família, ameaça te banir e te mata pra você não atrapalhar. Não sabe jogar com outras pessoas? Joga contra o computador, mas não encha o saco de quem quer aprender e se divertir!

3 – Lag

Estamos na medalha de bronze, e ela está aqui por um motivo. Concentre sua violência preste atenção na história. Seus amigos te chamam pra jogar aquele jogo online ultra da hora com armas realistas, muito sangue, ação e diversão. Somos violentos, então queremos sangue. Você baixa, acha uma sala e entra na jogatina. Logo no começo você vê um inimigo e pensa: ”Um inimigo! Vou chegar por trás ele nem vai me ver. Estou chegando, tudo certo até aqui. Estou chegando, mais perto, v..ou a...t...irar vou ati... BANG! Morri.”

Se Deus criou a internet, o diabo criou o lag. Os jogos não deixam as pessoas violentas, quem faz isso é o lag! Seis em cada três pessoas já quis jogar o mouse/teclado/controle a quilômetros de distância, exatamente no servidor do jogo ou no técnico responsável. Claro que a pontaria pode ser feita sobre a operadora da banda larga, o que é mais comum. Afinal, é comum cair a internet. Simples assim.

2 – Promoções na Steam

Aqui a violência está chegando a níveis perigosos. Um treinamento com o Gandhi pode ser necessário para esta etapa do top 10. Respire fundo e pense comigo. Existem vários jogos no catálogo da steam, a loja virtual da Valve que vende jogos em formato digital para jogadores que usam o computador para exercer sua atividade violenta. Vários deles estão lá, por 40, 50, 100 reais. Você pensa: “não vou comprar, está caro e não tenho 50 reais para comprar um jogo, mesmo que seja para treinar minha violência.” Mas algo ocorre, algo mais diabólico que nosso espírito de fúria: acontecem as promoções de meio ou fim de ano...

Neste momento, jogos que estavam a 100 reais caem para 20, jogos de 50 reais custam agora 5 reais e uma mariola. E é neste momento em que você gasta 200 reais em jogos, sendo metade deles indie e tendo custado um real. Você nunca jogará os malditos jogos, mas você compra porque está barato! Você compra, gasta, some com todo seu dinheiro! E neste momento, todos entendem o que as mulheres e alguns homens fazem em uma loja quando vêem um cartaz 75% off...

1 – O Preço dos Jogos

A fúria suprema. O ápice da violência. Se você leu até aqui e conseguiu suportar o ódio em seu coração, com todas suas tendências criminosas, prepare-se para ter sua paciência e paz de espírito jogadas no lixo - e nos cofres públicos, o que anda quase a mesma coisa. O primeiro lugar soa como uma contradição ao tópico anterior, mas eles não poderiam ser mais distintos entre si.

Considere a situação de uma pessoa qualquer, que trabalha de segunda a sábado, ganha um salário mínimo, agüenta chefes, vive com o nariz numa pilha de papéis e mal tem uma folga. Nada mais normal ele querer descançar, correto? Então esta pessoa pensa: “olhe, um console novo. Ele custará 400 dólares fora daqui, então se considerarmos preço do dólar e um pouco mais de lucro que a empresa queira ter aqui no Brasil, podemos chutar que custará uns 900 ou 1000 reais correto?” MAS O MALDITO CONSOLE VEM CUSTANDO DOIS MIL E QUATROCENTOS REAIS!!

COMO EU VOU PAGAR DOIS PAU NUM CONSOLE SE EU RECEBO UM SALÁRIO??? E OS JOGOS, QUANTO VÃO CUSTAR?? Os jogos não deixam a pessoa violenta, MAS O PREÇO DELES SIM! DUZENTOS REAIS NUM JOGO DA GERAÇÃO ATUAL? QUE MERDA É ESSA?

E como eu disse, esse tópico não tem nada a ver com o anterior, porque antes eu gastava 200 reais e comprava mais jogos do que eu poderia jogar em uma vida; neste caso eu compro UM jogo de 200 reais...e ainda corro o risco dele ser incompleto como citei antes! Isso é causa de fúria! Isso é a causa maior da violência dos jogadores!

Uma parceria com:

Está na hora de você aprender Photoshop!

Deixe seu nome e e-mail que te informamos logo logo quando ele estiver pronto
Valorizamos sua privacidade. Seu e-mail não será compartilhado com terceiros!