10 excelentes razões para correr

10 excelentes razões para correr

  1. Correr melhora sua saúde
    Um dos maiores benefícios da corrida é que ela é muito boa para sua saúde. Correr é uma ótima maneira de fortalecer seu coração e garantir uma circulação eficiente de sangue e oxigênio por todo o corpo, o que reduz as chances de um ataque cardíaco. Exercício, combinado com uma manutenção de peso saudável, é uma das melhores maneiras de reduzir naturalmente sua pressão arterial se for até o normal. Se você é colesterol, correr pode ajudar a mantê-lo estável. Correr também melhora o sistema imunológico, para que suas funções corporais sejam mais eficazes contra bactérias. Corrida e manutenção de outros esportes, aumenta a densidade dos ossos, o que pode prevenir a osteoporose.
  2. Você pode perder peso
    Muitas pessoas começam a correr para perder muito quilos. Sendo um dos esportes mais vigorosos, correr é uma maneira extremamente eficaz de queimar calorias e perder peso. Se você já tem um peso saudável, correr pode ajudar a mantê-lo. Só tome cuidado que correr não lhe dá pressa de comer nada. A regra básica para perder peso, que você deve queimar (funções básicas e exercício) mais calorias do que consome, também se aplica aos corredores.
  3. Você pode correr por uma causa. A
    execução também pode ser usada para contribuir para uma causa social. Várias corridas para o benefício de instituições de caridade e outras instituições de caridade oferecem corridas em troca de captação de recursos. Correr para algo maior do que você é uma ótima maneira de se manter motivado para perseverar e até mesmo dar às suas compras uma sensação de realização.
  4. Você pode conhecer pessoas correndo
    Os corredores aproveitam o silêncio e a solidão de correr sozinhos, mas outros vêem correr como uma oportunidade social. Encontrar um parceiro ou um grupo de corrida é uma grande ajuda para desenvolver o senso comunitário. Você pode definir metas e objetivos e realizá-los juntos. Além disso, ter um parceiro ou grupo de corrida regular é uma maneira de permanecer motivado para correr.

    Alguns corredores compartilham dicas e conselhos em fóruns online. Você pode compartilhar sua obsessão em correr, celebrar seus triunfos e ajudá-lo a superar seus obstáculos.

  5. Você pode experimentar algo novo e diferente
    Correr é uma ótima maneira de ampliar seus horizontes e sair da sua rotina diária. Este esporte oferece a oportunidade de descobrir a região de outras comunidades e novos locais, experiências e sensações físicas que correm em lugares que não vemos com frequência.
  6. Você pode treinar para um objetivo específico
    A maioria das pessoas odeia treinar com a ideia de exercício apenas, mas com a corrida você pode treinar para corridas, 5 km para a maratona e muito mais. Treinar para uma corrida lhe dá um objetivo específico para apontar e trabalhar, o que definitivamente pode ajudar a mantê-lo motivado para correr.
  7. Correr melhora o seu nível de energia
    Quando você se sente cansado e solto, correr é uma solução a considerar para a sua energia. Os corredores que correm na manhã relatam que se sentem muito mais energéticos durante o dia.
  8. A corrida irá ajudá-lo a se amar mais
    corredores regulares relatam um aumento em termos de sua confiança e auto-estima, e o benefício acredita-se para concorrer é aumentada se você definir metas e objetivos, como um 5 km ou uma maratona e cumpri-lo.
  9. A corrida é versátil e barata A
    corrida exige pouco equipamento e pode ser feita em praticamente qualquer lugar. Tudo que você precisa é de um bom par de sapatos, e você pode sair pela sua porta para decolar. Desde a calçada urbana até a trilha da floresta, há muitos lugares para descobrir, a baixo custo. Se você viaja muito, é fácil levar um par de sapatos para correr e descobrir novos.
  10. Correr pode aliviar o estresse
    Correr, como muitos outros esportes, é um excelente remédio para o estresse, irritação emocional e até depressão leve. Pesquisas mostram que adultos que se exercitam regularmente são geralmente mais felizes do que aqueles que não se exercitam.

PERDA DE CABELO (ALOPECIA)

PERDA DE CABELO (ALOPECIA)

Por que estamos perdendo cabelo?

A perda de cabelo , ou alopecia, pode afetar homens e mulheres, mesmo que os homens sejam mais afetados. A perda de cabelo pode ser parcial ou total. As principais causas de perda de cabelo são:

  • hereditariedade (alopecia androgenética);
  • hormônios (redução de hormônios femininos ou aumento de hormônios masculinos);
  • estresse;
  • quimioterapia;
  • parto;
  • a mudança de estação;
  • alopecia areata;
  • certos tratamentos com drogas;
  • deficiências nutricionais.

Podemos evitar a perda de cabelo?

É difícil prevenir a perda de cabelo , especialmente se não for hereditária. No entanto, em caso de perda de cabelo anormal, ou se um dos pais está sujeito a alopecia, algumas ações cotidianas podem retardar a perda de cabelo. Para evitar a queda de cabelo, é aconselhável:

  • limitar os corantes capilares, géis e lacas, xampus secos;
  • use um xampu suave;
  • massageie o couro cabeludo;
  • adotar uma dieta rica em ferro, cobre, silício, ácidos graxos, zinco e vitamina B.

Quais são os fatores de risco para queda de cabelo?

Algumas pessoas são mais propensas do que outras a perder o cabelo e as causas não estão necessariamente relacionadas a uma doença. Tratamentos de medicação para artrite, gota ou pressão alta aumentam o risco de perda de cabelo, assim como o uso de testosterona para atletas. As deficiências alimentares que promovem a perda de cabelo são as do ferro e da proteína. Penteados como o rabo de cavalo ou coque devem ser evitados, o que aumenta o risco de perda de cabelo. O calor também não é bom para o cabelo, por isso é necessário limitar a secagem ao ar ou a secagem a quente.

Quais são os tratamentos contra a queda de cabelo?

Tratamentos de perda de cabelo variam por causa. Se estiver relacionado ao parto, fadiga ou mudança sazonal, a suplementação com zinco e vitamina B é uma solução. Para a alopecia areata, os corticosteroides são geralmente prescritos. Para os casos mais graves ou avançados, o transplante de cabelo é possível.

Os efeitos da menopausa

Os efeitos da menopausa

É bem conhecido: a menopausa provoca muitos transtornos. Suas manifestações se estendem muito além das famosas ondas de calor …

Menopausa e perimenopausa

A menopausa é, por definição, a parada irreversível do funcionamento dos ovários. Esses órgãos essenciais para a reprodução deixam de produzir óvulos por causa de uma queda nos hormônios (estrogênio e progesterona). A menopausa, portanto, sinaliza o fim do período fértil de uma mulher. Haverá também uma pausa na menstruação. Este fenômeno complexo é acompanhado por muitos distúrbios físicos e psicológicos.

A menopausa geralmente ocorre entre as idades de 45 e 55 anos, a média é de 51 anos de idade. Será dito que uma mulher está oficialmente na menopausa 12 meses após seu último período menstrual.

Perimenopausa é o período antes da menopausa. Durante esta fase, a menstruação pode ser menos regular, menos abundante e mais curta. Eles podem ser mais freqüentes ou abundantes, ou flutuantes. Os sintomas da perimenopausa duram vários anos (4 a 7 anos, em média) antes da chegada da menopausa.

Embora estes passos sejam bastante naturais, muitas mulheres vivem com dificuldade.

Os efeitos na saúde mental

A perimenopausa e a menopausa estão frequentemente associadas a distúrbios do sono. Flutuações hormonais podem causar dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo, e a qualidade do sono pode ser comprometida. Às vezes, ondas de calor e suores noturnos contribuem para a insônia. Todas essas dificuldades podem ser fontes de fadiga e irritabilidade.

Além disso, ter um humor deprimido ou alterações de humor são fenômenos muito comuns em mulheres na perimenopausa ou na menopausa. Além disso, a menopausa aumenta o risco de depressão, independentemente de a mulher ter história de depressão ou não. Tristeza, cansaço ou exaustão, perda de interesse em atividades habituais e diminuição ou aumento do apetite estão entre as manifestações comuns. 

Efeitos na saúde neurológica

Algumas mulheres também acham que suas faculdades mentais parecem diminuir. Por exemplo, eles podem se queixar do esquecimento frequente e dessa “sensação de ter sua cabeça nas nuvens”. Maior dificuldade de concentração também não é incomum. Essas repercussões na vida diária são, novamente, atribuíveis a flutuações hormonais.

Além da questão hormonal, outros fatores podem entrar em jogo aqui. As ondas de calor noturnas e a dificuldade em dormir podem resultar em fadiga diurna, afetando a concentração. Lembre-se de que os problemas de memória ou concentração também são sintomas típicos da depressão. Por isso, pode ser difícil determinar as causas exatas.

As mulheres que têm uma história de enxaqueca, muitas vezes percebem que elas aumentam durante a perimenopausa. Alguns deles percebem que suas enxaquecas diminuem muito ou até desaparecem após a menopausa. Às vezes, as enxaquecas continuam a ocorrer ou aumentam em frequência e intensidade, de acordo com um certo ciclo relacionado às flutuações hormonais.

Os efeitos sobre a sexualidade

Muitas mulheres vêem suas vidas íntimas afetadas pelo início da menopausa. A diminuição da libido é um problema sexual comum que ocorre em aproximadamente 12% das mulheres na pós-menopausa. Embora a libido, a excitação, o orgasmo e a satisfação estejam diminuindo com a idade e no contexto da menopausa, tenha certeza: a satisfação sexual ainda é possível.

A atrofia vaginal é um distúrbio genital muito comum em mulheres na pós-menopausa. Esta condição é caracterizada por adelgaçamento das paredes vaginais, secura vaginal e sensação de irritação ou ardor. Esses sintomas tornam as relações sexuais desconfortáveis ​​ou dolorosas. Um aumento do risco de infecções vaginais ou urinárias é comum.

As mulheres que têm dificuldades sexuais devem abordar a questão com um profissional de saúde porque, felizmente, existem soluções.

Efeitos na aparência física

Finalmente, após a idade de 40 anos, muitas mulheres observam várias mudanças no corpo, incluindo as seguintes, que podem ser parcialmente devido a flutuações hormonais:

  • ganho de peso;
  • modificação da silhueta;
  • redução de massa muscular;
  • depósitos de gordura em determinados locais (estômago, coxa, nádegas, etc.);
  • secagem, desbaste e perda de elasticidade da pele;
  • mudanças de cabelo;
  • retenção de líquidos (inchaço)
  • etc.

Hábitos de vida saudáveis, cuidados diários, medidas preventivas e tomar certos medicamentos podem ajudar a limitar o impacto da menopausa. Este artigo não aborda todos os possíveis efeitos da perimenopausa e da menopausa sobre o bem-estar e a saúde das mulheres. 

Para mais informações sobre este assunto e sobre as medidas a tomar para melhor viver este período de transição, consulte o seu farmacêutico. 

8 ótimos alimentos para restaurar o colágeno em sua pele

8 ótimos alimentos para restaurar o colágeno em sua pele

Mesmo que cremes e loções possam ser facilmente obtidos, para restaurar o colágeno, é melhor incluir alimentos ricos nesses nutrientes diretamente em sua dieta.

O colágeno é uma proteína secretada por células do tecido conjuntivo chamadas fibroblastos. Constitui cerca de 30% da massa total de proteínas do corpo e 80% do total do tecido conjuntivo.

Em outras palavras, mais claro, essa proteína é o adesivo que une todo o nosso corpo. Sem isso, o corpo humano não poderia aderir todos os seus componentes.

Colágeno e nossa pele

A saúde da nossa pele está diretamente relacionada ao colágeno, pois protege as estruturas do nosso corpo e forma uma barreira contra toxinas nocivas e agentes externos.

É o maior componente do cabelo, unhas, ligamentos e tecidos conjuntivos. Mais concretamente, é o responsável pela firmeza da pele porque compõe a maior parte da pele.

É por isso que a deficiência de colágeno causa falta de firmeza e aumenta a flacidez.

Quando começamos a perder o colágeno e por quê?

Os seres humanos começam a perder colágeno a partir dos 25 anos, embora os efeitos sejam mais evidentes a partir dos 35 anos.

Quando o colágeno é reduzido, as estruturas epiteliais ficam mais frágeis, a pele fica mais fina, o cabelo fica menos resistente e a flacidez e as rugas aparecem.

Fatores que aceleram a perda de colágeno

  • Exposição ao sol, fumo, poluentes, alguns tóxicos, estresse e exercício físico exagerado aumentam a produção de radicais livres que destroem o colágeno existente.
  • A falta de produção hormonal que ocorre durante a menopausa e o envelhecimento reduz sua produção.
  • Problemas de saúde cujos tratamentos impedem a absorção de vitaminas e minerais.

O que comer para restaurar o colágeno da pele?

Mesmo que chegue um momento em que a produção de colágeno comece a diminuir, nem tudo está perdido. Existem alguns alimentos que são ricos nessa proteína e outros que ajudam a criá-la.

Seu consumo pode ajudá-lo a encontrar a firmeza, a elasticidade e o bom comportamento da pele. Aqui estão eles:

1. Carnes

As carnes são elementos nutricionais importantes em nossa dieta.

Graças ao seu alto teor de colágeno, as seguintes carnes são boas para a pele:

  • A vaca
  • O frango
  • A cabra
  • A carne
  • O cervo
  • Carne de porco (especialmente pernas)

Também é muito rica em proteínas e colágeno: tripas, vísceras, como focinho, pernas de porco, pés de vaca, caldo de osso, etc.

2. O peixe

Embora o peixe tenha menor concentração nesse nutriente, em comparação com a carne, possui grandes quantidades de proteína, principalmente em sua pele.

Os ômega-3 encontrados no salmão e no atum protegem a membrana de gordura em torno das células da pele.

Como resultado, reduz a inflamação e traz elasticidade e firmeza à pele .

3. Gelatina

A gelatina é composta por 90% de derivados proteicos de colágeno. Além disso, é baixo em calorias.

4. Frutas e legumes vermelhos

Frutos vermelhos ou vegetais, como maçãs, morangos, cerejas, beterrabas, pimentos, etc. contêm licopeno, substância que, além de antioxidante, auxilia na produção de colágeno.

5. Frutas ricas em vitamina C

A vitamina C é fundamental para a produção de colágeno. É encontrado em laranja, limão , kiwi, toranja, abacaxi e alguns outros.

Além disso, eles contêm antioxidantes que reduzem a formação de rugas.

6. Legumes

Vegetais como repolho, berinjela, salada ou espinafre são excelentes para a produção de colágeno.

7. Alimentos ricos em enxofre

Alimentos como aipo, azeitonas verdes e pretas, alho, pepino, banana, cebola ou tofu têm alto teor de enxofre, o que estimula a produção de colágeno.

8. Outros alimentos

Outros alimentos para adicionar à sua dieta incluem leite de soja, queijo, chá, frutas secas e alimentos ricos em lisina, como batatas, algas e leveduras.

Todos os produtos listados neste artigo são fáceis de obter. Misture-os para preparar uma dieta saudável que seja saudável e equilibrada, e você notará os efeitos em sua pele à medida que os níveis de colágeno aumentam em seu corpo.

5 chás de ervas para uma boa noite de sono

5 chás de ervas para uma boa noite de sono

Para ser eficaz, chás de ervas devem ser absorvidos antes de ir para a cama. Tome preparações de ervas como uma infusão ou tintura preparada por um fitoterapeuta.

Camomila (Matricaria recutita)

Sedativo, também alivia o nervosismo e cólicas menstruais.

 

 

 

 

]

Flor de laranjeira (Citrus aurantium)

A flor de laranjeira tem um efeito calmante, alivia a tensão nervosa e distúrbios digestivos, além de promover o sono. 

Maracujá (Passiflora incarnata)

Acalma nervosismo, estresse e distúrbios do sono relacionados à ansiedade.

Tilia (Tilia x europea)

As flores de tília têm propriedades calmantes, especialmente para dificuldades de sono e propriedades. Eles aliviam enxaquecas.

Valeriana (Valeriana officinalis)

As raízes desta planta, em infusão ou comprimidos, possuem propriedades calmantes, reduzindo a ansiedade e o estresse. Esta planta é ideal para pessoas que têm dificuldade em adormecer.

5 melhores dicas para melhorar sua saúde

5 melhores dicas para melhorar sua saúde

As melhores dicas para melhorar sua saúde? Primeiro, uma dieta saudável e equilibrada, mas também e acima de tudo, divertida!

Para melhorar sua saúde … esqueça as dietas!

“Minha vida gira em torno da comida, admito e aprendi a não me preocupar com a minha cintura. O que importa é ser saudável e feliz . Uma dieta rigorosa não funciona para mim. Eu não posso viver apenas com tilápia e aspargos! Eu tomo um shake de proteína pela manhã e me ofereço um copo de vinho à noite. Mas você não pode aproveitar a vida sem boa comida. “

Desafie seu corpo

“Há alguns anos, contratei um treinador e comecei a levantar pesos. Você pode rapidamente realizar maravilhas quando você coloca em uma maneira constante . No começo, eu não conseguia levantar nada, mas fiquei surpreso com os halteres de 16 libras (35 libras). Que sensação! Meus cachorros também me mantêm em forma, ando pelo menos 90 minutos por dia. Não importa o que aconteça, tenho que passar tempo com eles. “

Aprenda a dizer não

“Não sabendo para onde virar minha cabeça me angustia e me domina. Pode parecer simples, mas ainda assim precisa ser aplicado diariamente! Eu aprendi que você pode dizer não para outro projeto ou se recusar a sair todas as noites. Não é saudável trabalhar muito. “

Mantenha uma atitude positiva

“Todos nós temos nossos altos e baixos. Mesmo nos meus piores momentos, tento evitar a tristeza e focar nas minhas atividades positivas , grandes ou pequenas. Na semana passada, eu caminhei 10 km e tenho orgulho disso. Eu até escrevi um livro de receitas! Este foi um dos meus maiores objetivos de carreira. “

Faça do seu bem-estar uma prioridade

“Não importa o quão ocupado eu esteja, tento me dar uma hora por dia . É uma boa maneira de manter um estilo de vida equilibrado entre nosso trabalho e nossa vida pessoal. Eu posso ir treinar , visitar o mercado ou me pagar uma manicure … o que importa é que eu possa relaxar. “

3 dicas para melhorar sua saúde digestiva

3 dicas para melhorar sua saúde digestiva

Embora a dieta seja frequentemente a causa, o estresse e a preocupação podem afetar nosso sistema digestivo.

Azia, gases, inchaço … Enquanto os intestinos são essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo, uma série de fatores, como estresse, pode afetar a saúde do nosso sistema digestivo e causar problemas de saúde, tais como  a síndrome intestino irritável . Este artigo oferece seis dicas que ajudarão você a manter um sistema digestivo saudável.

 1. Reduza o estresse

 

O estresse deve ser levado muito a sério. Nossos ritmos de vida atuais, nossa ansiedade ou nosso estresse afetam diretamente a saúde de nosso intestino e estômago. Alguns especialistas até chamam nosso sistema digestivo de “segundo cérebro”. De fato, é no último que está o “sistema nervoso intestinal” usando as mesmas estruturas que os neurotransmissores. É por isso que é importante dar um certo equilíbrio à nossa vida, a fim de beneficiar este “segundo cérebro”.  De acordo com especialistas, um forte estado de estresse pode causar irritabilidade do cólon, causando certos desequilíbrios em nosso corpo, tais como:

  • Um desequilíbrio do sistema nervoso autônomo , cujo papel é garantir o ritmo correto de nossos movimentos intestinais.
  • Um desequilíbrio do sistema endócrino ,  que aumenta a produção de hormônios relacionados ao estresse, como adrenalina e cortisol, causando problemas de digestão.
  • Um desequilíbrio alimentar.  De fato, é bem sabido que alguns procuram na comida uma maneira de lidar com o estresse e a ansiedade. Esses excessos dietéticos levam a um acúmulo de nutrientes no intestino, que então vê seu ritmo digestivo completamente desordenado.

Portanto, é importante lembrar que nossas emoções afetam diretamente nosso corpo e, em particular, nosso sistema digestivo. Tirar a vida de uma maneira mais relaxada e relaxada, portanto, faria o maior bem ao nosso corpo.

2. Reequilibre sua dieta

Evite alimentos fritos, industriais e ricos em gordura

Hambúrgueres, batatas fritas, frangos fritos banhados em óleo, pizzas, cebolas fritas … Todos conhecemos os efeitos da junk food na nossa saúde. E, no entanto, consumimos tudo, seja por falta de tempo ou simplesmente por gosto. Mas quantas vezes você teve uma dor de estômago depois de uma refeição rica em gordura? De fato, tendo quase nenhuma fibra solúvel, este tipo de alimento é muito exigente, o nosso sistema digestivo pode sofrer de doenças como a  diarréia .

  •  Dica de saúde:  Usar o forno para cozinhar permitirá que você consuma menos óleo. Da mesma forma, o vapor é ideal para preparar legumes. E se você ainda quiser usar o óleo, lembre-se que o azeite é um dos óleos mais benéficos para sua saúde.

Veja também: Renova 31

3. Evite carne vermelha

 

  • Dica de saúde:  carne magra, como frango ou peru é o mais benéfico para a saúde. No entanto, quando você comprá-los, verifique se eles vêm e onde eles são criados. Evite cozinhar com óleo e prefira os modos de cozimento sem gordura, como forno ou chapa.

4. Evitar produtos lácteos

Os produtos lácteos  fazem parte desses alimentos que podem promover o aparecimento da síndrome do intestino irritável. Em geral, não digerimos produtos lácteos porque eles não têm fibra. Além disso, eles contêm muita gordura e lactose que podem causar sérios problemas digestivos, como diarreia ou constipação. Além disso, aconselhamos que você evite produtos lácteos o máximo que puder

  • Conselhos de saúde : É muito simples substituir o leite de  vaca por leites vegetais  , como leite de aveia, arroz, amêndoas, nozes ou pistache. Agora é fácil encontrar no supermercado, ou até mesmo fazer casa.

5. Tomar certos medicamentos

Muitos estudos mostram que alguns problemas intestinais, como a síndrome do intestino irritável, às vezes estão diretamente relacionados à administração de certos antibióticos .  De fato, os médicos notaram que, pouco antes do aparecimento dos primeiros sintomas da doença, muitos pacientes precisavam tomar antibióticos para tratar uma infecção grave. O consumo de alguns antibióticos fortes demais para o corpo pode afetar o intestino.

Pode-se então perguntar quais são as razões para esses efeitos. Isso é bastante lógico, a principal função dos antibióticos é destruir microorganismos, mas eles não sabem distinguir bactérias boas de ruins e causar um sério desequilíbrio em nossa flora intestinal.

No entanto, esse mesmo desequilíbrio pode ser causado por outros tratamentos, por isso devemos estar atentos às drogas que usamos, como antidiarreicos ou laxantes. Além disso, em casos de diarreia ou constipação, recomendamos recorrer a soluções naturais . Além disso, lembramos que é sempre melhor pedir  o conselho de seu médico antes de tomar qualquer medicação.